História

A cidade de Barretos está ligada à atividade pecuária desde suas primeiras décadas de formação, principalmente a partir do final do século XIX. Segundo historiadores e geógrafos, Barretos pertencia à chamada região “Brasil Central Pecuário”, onde localizavam-se centros de criação, invernada e venda de bois em pontos determinados nos estados de Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais e São Paulo, como o Triângulo Mineiro e Oeste Paulista. Foi neste período que pecuaristas atraíam-se às pastagens barretenses, as quais possuíam como vantagens a abundância e o valor das terras, a qualidade das pastagens para as invernagens e boa localização geográfica (fácil acesso aos criadores Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás e consumidores de São Paulo e Rio de Janeiro), além do acessível Rio Grande e, mais tarde, a ferrovia.

Foi assim que a pecuária entrou no século XX em Barretos como rica atividade econômica, a qual permitiu não só o desenvolvimento urbano e social da cidade, bem como a diversificação da economia do gado a partir da venda do couro, do gado como transporte, selarias, cordas, calçados, curtumes, charqueadas, etc. Com esse movimento econômico, a cidade prosperou-se administrativa e politicamente com os novos perfis de moradores e instituições que surgiam nesta época. Por outro lado, era através dos corredores boiadeiros, os quais transportavam os gados dos criadores à consumidores, que se permitia o contato entre os povos interioranos, promovendo, portanto, a troca de culturas e a formação da tradição caipira, sertaneja.

A partir da década de 1910 a pecuária ganha novas diretrizes com a instalação do matadouro, e Barretos passa a ser uma marca com o estabelecimento da “Companhia Frigorífica Pastoril de Barretos”; que em 1913 era a primeira empresa frigorífica do Brasil. Apesar da grande exportação de carnes e do investimento em mão-de-obra imigrante na cidade por parte do frigorífico, os pecuaristas de Barretos começam a questionar a presença dos “estrangeiros” no mercado de criação e engorda do gado, principalmente a partir de 1923, em que o frigorífico é vendido aos ingleses, passando a denominar-se mais tarde Frigorífico Anglo. Deste momento em diante, os tradicionais criadores de gado teriam que “disputar” com o capital e a tecnologia estrangeira.

Foi neste momento, em que os pecuaristas tinham o consenso da necessidade do estabelecimento de um justo valor do gado, da industrialização da carne e da manutenção de uma balança para pesagem do gado vivo, que surge o primeiro núcleo patronal da classe: que mesclava os interesses dos pecuaristas, invernistas e boiadeiros. Em 31 de maio de 1931, foi fundada a ‘União dos Fazendeiros e Invernistas do Oeste de São Paulo’, sendo presidida por João Rodrigues Borges.

Sendo o Sindicato Rural mais antigo do Brasil, o SIRVARIG tem diversas realizações, mas cabe destacar, o 1º Congresso Pecuário do Brasil Central, realizado no ano de 1942, ocasião em que surgiu a ideia de se fundar uma associação que agrupasse todas as associações agropecuárias existentes no Brasil Central. Assim nasce a ‘Federação das Associações de Pecuária do Brasil Central’, que em 13 de abril de 1944 transferiu a sua sede para São Paulo capital.

No ano de 1945, a Federação, passou a denominar-se ‘União das Associações Agropecuárias do Brasil Central’ e em 8 de fevereiro de 1946, adotou o nome de ‘Federação das Associações Rurais do Estado de São Paulo ( FARESP)’. O grande responsável pela prosperidade da Federação foi Iris Meinberg, um dos fundadores do Sindicato, que depois, foi eleito presidente da ‘Confederação Rural Brasileira', que em 1964 trocou de nome para  'Confederação Nacional da Agricultura' (CNA).


Linha do Tempo



31 de maio 1931
-Fundação da União dos Fazendeiros e Invernistas do Oeste de São Paulo. O primeiro presidente foi João Rodrigues Borges.

26 de agosto de 1934
-A União dos Fazendeiros e Invernistas do Oeste de São Paulo é incorporada ao Sindicato dos Invernistas e Comerciantes de Gado tornando-se “Sindicato dos Invernistas e Comerciantes de Gado de Barretos.”.

1935
-Alteração do Estatuto e troca do nome para “Sindicato dos Invernistas e Criadores de Gado de Barretos” na presidência de Isidoro Coimbra.

1940
-Presidência de Iris Meinberg

Abril de 1941
-Iniciativa do Sindicato para a criação do Primeiro Congresso Pecuário do Brasil Central

1942
-Irís Meinberg cria a Federação das Associações de Pecuária do Brasil Central com a sede em Barretos

1942/1943
-O então presidente do sindicato, João de Almeida Queiroz começa a arrecadação de fundos para construção da nova sede e lançamento da Pedra Fundamental no endereço Praça Francisco Barreto.

1943
-Torna-se Associação dos Pecuaristas do Vale do Rio Grande Presidente Raul dos Santos

13 de abril de 1944
-Transferência da sede da FARESP de Barretos para São Paulo

17 de Março de 1945
-Inauguração do Recinto e acontece a primeira Exposição Regional de Animais de Barretos

22 de Setembro de 1945
-Inauguração da sede atual do sindicato

20 de dezembro 1945
-Torna-se Associação Rural do Vale do Rio Grande

12 a 14 de abril de 1947
-II Exposição Regional de Animais de Barretos

9 a 11 de Abril de 1949
-III Exposição Regional de Animais e Produtos Derivados de Barretos e 1º Concurso de Bois Gordos da Região de Barretos

Julho de 1949
-Associação Rural do Vale do Rio Grande é considerada entidade de utilidade pública

1950
-Visita de Getúlio Vargas, como candidato, na sede da Associação Rural do Vale do Rio Grande.

1951
-Criação da Confederação Rural Brasileira

3 de novembro de 1951
-Doação de terreno a União para a edificação de um laboratório para a fabricação de vacinas contra a febre aftosa
Presidente Fenelon dos Santos e o Prefeito era João Ferreira Lopez

1961
-Visita do presidente Jânio Quadros na X Exposição de Animais de Barretos

1964
-Reconhecimento da Confederação Rural Brasileira em entidade sindical passando a se chamar Confederação Nacional da Agricultura.

15 de janeiro 1966
-Torna- se Sindicato Rural Vale do Rio Grande

1977
-Sindicato organiza a 6º Exposição Internacional de Nelore que conta com a presença do presidente Ernesto Geisel.

1991
-Criação do Serviço de Aprendizagem Rural - SENAR

1993
-Criação do Serviço de Aprendizagem Rural do Estado de São Paulo

1994
-O sindicato começa a oferecer os cursos do SENAR- SP na região
Presidência de Nobuhiro Kawai

2011
-O sindicato ajuda a criação da Cooperativa de Produtores Rurais de Barretos e Região (Coopbar)

2013
-O SIRVARIG retoma as tradições e volta a organizar a Exposição Agropecuária de Barretos